Mãos de tesoura

Quando eu era criança, muitas vezes meu pai cortou os meus cabelos. Ele nunca chegou a ser um Fígaro, mas não chegava a decepcionar. Minto. Decepcionava. Algumas vezes ratou na mão e eu tive que camuflar o ‘caminho de rato’ assanhando o que sobrou de fios. Mas quando se é criança, não se arranca os cabelos por qualquer besteira. E essas ratadas foram acontecendo até o dia em que eu decidi que já estava na hora de recorrer à ajuda de um profissional. O tempo passou, cresci e meu pai sofreu um grave Acidente Vascular Cerebral, perdendo grande parte dos movimentos e – mais que isso – a vontade de sair de casa. Fechou-se de tal forma que nem mais vontade de cortar os cabelos ele tinha. Geralmente, a muito custo, o cabeleireiro era chamado a casa dele para fazer o serviço. Há algum tempo, em visita a ele, o vi de cabelos grandes. “Não tem quem o faça cortar”, disse minha mãe. Eu tentei de todas as formas, mas ele parecia resistente. Sair para ir até um salão de beleza era, para ele, uma ideia cabeluda. Então me lembrei da minha infância, quando cabelos grandes eram sinônimos de se sentar à sombra do velho coqueiro no quintal de casa e deixá-lo fazer as vezes de barbeiro (barbeiro aqui no sentido de barbeiragem). “Vamos inverter os papéis por uma vez?”, propus. “Apenas por um momento eu serei seu pai, e o senhor, meu filho. E a gente vai brincar de ser feliz. Se eu fizer merda, o senhor briga comigo. Vai ser a ‘minha’ forma de vingança pelas vezes que eu quis brigar pelas ‘peripécias que o senhor fez no meu cabelo”. (Eu queria dizer merda em vez de peripécias, mas não consegui). Ele sorriu e disse sim com os olhos. E comecei a lhe cortar os cabelos e emendar lembranças do passado em cada fio. No final ele chorou, emocionado. “Não precisa chorar. Nem ficou tão ruim assim”, brinquei. Ele sorriu. E eu poderia jurar que aquelas lágrimas traziam muitas felicidades do passado.

  1. gravatar

    # by Marcos "Tchôla" Rodrigues - 10:38 AM

    Do caralho!
    Esperar tantos anos para isso foi demais, hein?? O ciclo da vida é muito engraçado. Só somos o que somos, porque um dia eles foram por nós. Agora sei porque vc é um cara cabeça feita. Mas também já tinha notado que seu cabelo, até hoje, possui caminhos de rato. kkk

  2. gravatar

    # by Marcos "Tchôla" Rodrigues - 10:39 AM

    Do caralho!
    Esperar tantos anos para isso foi demais, hein?? O ciclo da vida é muito engraçado. Só somos o que somos, porque um dia eles foram por nós. Agora sei porque vc é um cara cabeça feita. Mas também já tinha notado que seu cabelo, até hoje, possui caminhos de rato. kkk

  3. gravatar

    # by Débora Guedes - 12:44 PM

    "...E comecei a lhe cortar os cabelos e emendar lembranças do passado em cada fio..."
    Eu emendo sempre as minhas lembranças quando leio seus textos.
    Beijocas!